Portugal Centro
» NOTICIAS
início
   
Desporto no Centro
distrito

Foto: Urbi et Orbi
Sporting da Covilh


Adeus, II Liga

Covilh confirma descida. S mesmo na secretaria se poder safar

O Trofense at perdeu e o Covilhã criou oportunidades para adiar a decisão para a derradeira jornada, mas foi perdulrio, não cumpriu com a sua parte e permitiu, com o nulo frente à Naval, que ficasse consumada a despromoção à II Divisão, que a partir da prxima temporada se passa a chamar Campeonatos Nacionais Seniores.
A esperança reside agora numa eventual repescagem, como sucedeu na ltima temporada, caso algum dos clubes com salrios em atraso não cumpra os requisitos para participar na II Liga. Mas para alimentar essa possibilidade necessrio os serranos manterem o 20º lugar e não se deixarem ultrapassar na classificação pelos outros dois clubes que desceram: o Freamunde e o Vitria de Guimarães B.
Jos Mendes, presidente do Sporting da Covilhã, visivelmente irritado, não quis prestar declarações. J Chal admite que “as coisas estão todas em aberto”. Gorada que est a possibilidade de conseguir a manutenção dentro de campo, Francisco Chal aponta baterias para o que chama de "plano B". "O futebol português est de tal maneira, que pode nem haver s plano B", embora sublinhe que a equipa fez o suficiente para conseguir manter-se desportivamente.
"Não era preciso isso. Tnhamos todas as possibilidades de salvar o clube pela via desportiva", salientou o treinador, referindo que, para isso, bastava que as muitas ocasiões criadas tivessem sido concretizadas. "Tivemos tudo na mão. O prximo jogo mais um em que temos de fazer pela vida", disse o tcnico, aps o empate com a Naval
Faltou um finalizador
No domingo, a histria voltou a repetir-se. O Covilhã consegue criar oportunidades, consegue at dominar, mas não tem quem finalize. Aos 3 minutos de jogo os Leões da Serra j tinham desperdiçado duas ocasiões flagrantes de golo, ambas por Fabrcio, em zona frontal e enquadrado com a baliza.
No primeiro minuto o brasileiro atirou sobre a barra. Ao minuto 3 Kakuba isolou Fabrcio, mas o guardião Taborda defendeu com o p.
Gilberto, aps atraso de Gui, tambm esteve prestes a inaugurar o marcador. Ao quarto de hora de jogo o navalista Tinoco respondeu com um livre junto à linha lateral directo à baliza, que obrigou Jorge Batista a desviar por cima da trave.
Ao minuto 39 os serranos voltaram a criar perigo, por Moreira, mas o covilhanense da Naval, Taborda, resolveu.
Duas bolas no ferro
No reatamento a Naval continuou com as linhas baixas e muita gente a tapar os caminhos da baliza, face a um Covilhã mais ofensivo, com mais posse de bola e no segundo tempo a imprimir maior velocidade à partida.
O golo serrano esteve perto ao minuto 49, quando Moreira rematou, e Gui desviou para a trave. Moreira, de longe, voltou a atirar a centmetros do poste e os figueirenses ripostaram.
Aos 72 minutos, Telinho recebeu a bola de costas na rea, rodopiou e rematou forte contra o poste. Do outro lado, Fabrcio, novamente no coração da rea, à vontade, voltou a falhar. Aos 80 Telinho assustar novamente os serranos, com uma bola que saiu ao lado.
Fabrcio, de longe, ainda tentou o golo da vitria, sem sucesso e nos descontos Marcelo, perante a desatenção colectiva serrana, podia ter marcado, mas não o fez e o marcador acabou por não mexer.

2013-05-16 | Notcias da Covilh
 
comentar
Comentário:

comentários
Sem comentários
 
Agenda

Não existem eventos!
 
PORTUGAL CENTRO 2006-2017
© Todos os direitos reservados
Powered by Takemedia